FILOSOFIA DE VIDA

Receita para Um Natal Feliz!

Embora muitos insistam que o Natal é para as crianças, peço licença para discordar. Quando chega esta época do ano, sinto o entusiasmo borbulhar dentro de mim. Anseio reunir-me com a minha família e com os meus amigos, saboreando esse companheirismo especial à volta da mesa da Ceia, partilhando presentes embrulhados em papel colorido, e ouvindo música natalícia. Podem chamar-me um romântico incurável, mas sempre fui assim. Antes de ter idade suficiente para saber os meses do ano, sentia que algo de especial ia acontecer quando os casacos e os cachecóis apareciam no armário do hall e os dias se tornavam mais curtos. Pouco depois, a casa entrava numa azáfama, com cartões e cartas a serem escritos, telefonemas uniam a família em todo o país. “Em que casa nos reunimos este ano? Com quantos de vocês é que podemos contar? Quem se encarrega de escolher o menu? Vamos jantar a casa da avó, ou alugamos uma sala?” No primeiro ano do nosso casamento, éramos apenas dois: a minha mulher e eu. Ambos provínhamos de famílias grandes e barulhentas, e sentimos falta da excitação de termos muitos familiares à nossa volta e, especialmente, das crianças. É sempre muito melhor sentirmos a época natalícia através dos olhos de uma criança. No entanto, essa época torna-se muito menos agradável, se as crianças – ou qualquer outra pessoa da família – adoece ou fica mal-humorada. Demasiada excitação, poucas horas de sono, atividades extra-rotina, e comer demasiados alimentos muito ricos em açúcares e gorduras, podem transformar a alegria em tristeza. Mas tudo isso se pode ultrapassar, se evitarmos tudo o que prejudica a nossa saúde, e limitarmos o que não nos faz mal. Pode ajudar a prevenir as fases menos boas da época natalícia, usando de alguma estratégia, antes que se envolva, realmente, no espírito do Natal. Lembre-se de que “mais vale prevenir do que remediar”.

Seja o líder da gratidão. A gratidão gera boa saúde. Várias vezes, durante as festividades, recorde à sua família quão gratos se devem sentir por tudo o que possuem – os seus filhos, a sua casa, a família, os amigos, a alimentação e a liberdade. A gratidão é contagiosa. Gera um sentimento de bem-estar em todos os que o rodeiam. Como parte das atividades da família, as crianças talvez possam gostar de escrever uma nota de agradecimento por algo que tenham apreciado, ilustrando-a com desenhos seus.

Faça alguma coisa por alguém. Diz-se que uma pessoa embrulhada em si mesma faz um fraco embrulho. Comparar aquilo que temos com o que outras pessoas têm, pode fazer-nos sentir descontentes e queixosos. Em vez disso, faça planos com a sua família para prepararem surpresas agradáveis a outras pessoas – um cartão especial para uma professora, um ramo de flores para uma vizinha idosa, um cesto de Natal para uma família carenciada. Estes pequenos gestos são ainda mais interessantes, se forem feitos anonimamente.

Estabeleça tradições especiais de família. Se não há tradições na sua família, esta é a altura ideal para começar uma. Aqui tem algumas ideias simples para celebrar:
• Faça algumas das refeições à luz de velas.
• Sentem-se, no sofá, e vejam os álbuns de fotografias da família.
• Leiam um livro juntos, antes de irem para a cama.
• Façam biscoitos com as crianças.
• Ensinem uma canção de Natal às crianças.
• Ajudem os vossos filhos a montar uma peça de Natal que envolva toda a família.

Ensine aos seus filhos o verdadeiro significado do Natal. Há muito mais nas festas de Natal do que o bolo-rei, as filhoses e as prendas. Os corações tendem a ficar mais brandos e sensíveis nesta altura do ano. Não perca a oportunidade de educar e inculcar nos seus filhos a reverência e o respeito por aquilo que se celebra. Há um tesouro de informações nas bibliotecas, na internet e na Bíblia. Vá às atividades da comunidade, leia aos seus filhos sobre a origem e o significado das festividades, planeie uma festa temática para os amigos dos seus filhos, decore as janelas da sua casa, ouça músicas de Natal, deixe as crianças ajudarem a fazer a Ceia. Lembre-se dos conselhos que demos atrás: seja temperante e grato. Não fique sentado a ver o tempo passar. Junte-se às crianças e divirta-se!


Richard O’Ffill
Colaborador da nossa congénere americana Vibrant Life.